quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Museu da Natureza - Parque Nacional da Serra da Capivara-PI

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou a concessão de apoio financeiro de R$ 13,7 milhões à Fundação Museu do Homem Americano, de São Raimundo Nonato (PI), para construção e implantação do Museu da Natureza, dentro do Parque Nacional da Serra da Capivara, no município vizinho de Coronel Dias..
A operação acontece no âmbito do Programa BNDES para o Desenvolvimento da Economia da Cultura (BNDES Procult), com recursos não reembolsáveis do Fundo Cultural do Banco. A participação do BNDES corresponde a 68% do valor total necessário para viabilização do projeto.

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Parque Nacional da Lagoa do Peixe - RS, abriga exposição "Nosso Pampa Desconhecido"

Foto de Adriano Becker
O Parque Nacional da Lagoa do Peixe, unidade de conservação federal localizada no Rio Grande do Sul, abriga, até o final de novembro de 2013, a exposição Nosso Pampa Desconhecido, do Museu de Ciências Naturais da Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul.

A mostra reúne 30 fotos que apresentam temas típicos do Pampa, como a flora e fauna, a arquitetura, as atividades produtivas e os costumes do gaúcho. Estes momentos foram registrados pelo fotógrafo Adriano Becker em expedição nos municípios de Lavras do Sul, Rosário do Sul, Alegrete, Uruguaiana, Piratini, Santana do Livramento, entre outros do estado situados no bioma Pampa. No total, são 36 painéis 0,50 X 0,80 metros, com fotos e informações sobre este ecossistema.

O Pampa Gaúcho é parte de uma importante região natural com cerca de 760.000 km², localizada na metade sul do Rio Grande do Sul, no Uruguai e no nordeste da Argentina, e corresponde a 63% do território gaúcho.

A exposição é gratuita e aberta ao público em geral. Mais informações: (51) 3673-2435.


Fonte: Comunicação ICMBio

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Parque Nacional da Serra da Bocaina SP/RJ, recebe renomados pesquisadores

 

No dia 08 de outubro, o Parque Nacional Serra da Bocaina recebeu a visita de dois renomados pesquisadores: George Schaller (foto esq) e Peter Crawshaw (foto dir). O mastozoólogo norte-americano, especialista em mamíferos, George Schaller, atual vice-presidente da Partners in Wild Cat Conservation (Panthera) é uma referência entre os conservacionistas. Ele foi pioneiro no uso de radiotransmissores para monitorar a movimentação de animais. Com essa técnica, investigou ursos panda na China, leopardos da neve na região do Himalaia e carnívoros na África. No Brasil, Schaller foi o precursor de estudos sobre onças-pintadas. Sob sua orientação, despontaram os primeiros estudos do brasileiro Peter Crawshaw, considerado atualmente um dos grandes especialistas dos felinos brasileiros.

A vinda de Schaller à Bocaina fez parte de um roteiro de uma semana pela Serra do Mar paulista, que incluiu também fazendas no entorno do parque, a sede do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros (Cenap), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), em Atibaia, e o Parque Estadual Carlos Botelho, no sul do estado.

O roteiro foi traçado por Crawshaw, com o objetivo de mostrar a Schaller um panorama da situação do habitat da onça-pintada no bioma da Mata Atlântica. No Parque Nacional Serra da Bocaina, discutiu-se principalmente a necessidade de estudos mais completos na região, já que no estudo realizado por Crawshaw, em 2009, não foi detectada a presença da onça-pintada no interior do parque. Recentemente, uma pegada do animal foi encontrada nas proximidades da Cachoeira do Veado, dentro da unidade de conservação. Na ocasião, ainda foi discutido o potencial de áreas do entorno do parque nacional de serem contempladas com iniciativas de conservação.

Fonte: Comunicação ICMBio

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

O projeto

  

O projeto Parques Nacionais do Brasil - Art of Nature é uma iniciativa da Fundação Fórmula Cultural - entidade cultural sem fins lucrativos - demonstra a importância dos Parques Nacionais por sua fauna, flora e comunidades locais. Nossa equipe busca registrar através de imagens audiovisuais, as mais diversas situações do cotidiano dos parques, seu entorno e, a relação dessas comunidades com as áreas preservadas, seja através da preservação, da cultura, da tradição, do turismo ou outras atividades.

O projeto, busca em sua segunda edição, dar continuidade do registro do atual estágio de conservação dos Parques Nacionais, sua fauna, flora, vegetação, comunidades, culturas e tradições locais. As imagens serão apresentadas em suporte digital, reproduzidas em quantidade a serem doados pela entidade às Secretarias de Educação e Cultura dos Estados e Municípios que por sua vez redirecionarão para escolas no entorno dos parques e outras regiões. Exemplares do documentário também serão doados à centros de pesquisa, culturais e outras ONGs com ações em cultura, preservação e educação ambiental.

A primeira edição do documentário contemplou os parques nacionais do Pantanal (MT) e da Chapada dos Veadeiros (GO) e teve patrocínio da Pioneer do Brasil.

O projeto tem benefício da Lei Rouanet de Incentivo à Cultura e apoio do ICMBio Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade e busca agora a continuidade do registro de outros parques nacionais e suas comunidades, incluindo neste projeto importante ação cultural junto às comunidades locais. O material servirá de fonte de estudo, discussão e contemplação e, durante a passagem da equipe Fórmula Cultural, suas atividades serão referência para oficinas áudiovisuais com crianças e jovens no entorno do parque nacional visitado.

Mais sobre o projeto:

Realidade dos Parques Nacionais como Unidade de Conservação

Justificativa - O audiovisual como ferramenta de entendimento e educação

Ojetivos gerais

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Park View - Parceria ICMBio e Google


Brasília (15/07/2013) – As dunas dos Lençóis Maranhenses, o colorido das aves do Pantanal, as praias paradisíacas de Fernando de Noronha, os cânions de Aparados da Serra, as cataratas do Iguaçu... A lista de atrações naturais nas unidades de conservação (UCs) federais é enorme. Tão grande quanto a vontade de muita gente de ver de perto essas maravilhas protegidas pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) em vários pontos do País.

Pensando nisso, o ICMBio criou, em parceria com o Google, o Park View, um projeto que permite às pessoas fazer um tour virtual pelos parques e reservas naturais, por meio de um programa de computador. Com apenas um movimento no mouse ou um toque na tela do celular, você poderá passear por florestas, trilhas, rios, cachoeiras e demais atrativos das UCs, sem precisar sair de casa.

O projeto será lançado nesta quarta-feira (17), às 14h30, na sede do ICMBio, em Brasília. O evento, que terá ainda desfile de apresentação dos novos uniformes de trabalho dos servidores do órgão, vai marcar as comemorações do Dia de Proteção das Florestas.

Visão de 360 graus

O Park View é resultado de termo de reciprocidade assinado entre o ICMBio e o Google. O programa possibilita ao internauta fazer um passeio virtual de 360º com o zoom ao nível do chão pelo interior das unidades de conservação. Durante a viagem, as pessoas têm a sensação de estar no meio do mato, bem ao lado da flora, fauna e demais recursos naturais das UCs.


O projeto permite a utilização gratuita das imagens nos moldes do Street View, do Google, que mapeia estradas e avenidas urbanas em todo o mundo. Com isso, é possível, por exemplo, chegar à beira das cataratas do Iguaçu e apreciar as quedas d´água como se estivesse no próprio mirante. As imagens são captadas por meio de equipamentos eletrônicos, adaptados a uma mochila, triciclo ou mesmo barco, proporcionando o acesso às áreas mais remotas, nas quais não há passagem de veículos.

Além de possibilitar o passeio, o programa funciona como ferramenta para ajudar as pessoas a planejar visitas às unidades de conservação, o que contribuirá em muito para ampliar o número de turistas nesses locais. Atualmente, as UCs abertas à visitação atraem uma média de 5,5 milhões de pessoas por ano. Com a implementação do Park View, a tendência é que esse número aumente gradativamente, já que a quantidade de internautas no Brasil ultrapassa a casa dos 70 milhões.

Inicialmente, está prevista a coleta e uso de imagens em 30 unidades de conservação, grande parte delas considerada Patrimônio Mundial Natural pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). As demais UCs federais – são 313, no total – serão incluídas no decorrer da execução do projeto.

Fonte: ICMBio / Fotos: ICMBio e Google View


terça-feira, 14 de maio de 2013

Obra Labirintos – Parques Nacionais - Prêmio FNLIJ 2013


Obra Labirintos – Parques Nacionais, recentemente exposta na feira de Bolonha (Itália), foi vencedora da categoria Informativo do
Prêmio FNLIJ 2013

Após ser exposto na Feira de Bolonha (Itália), um dos maiores eventos mundiais voltados à literatura infantil, o livro Labirintos – Parques Nacionais, de autoria da bióloga brasiliense Nurit Bensusan, recebeu, na manhã desta terça (14/5), o prêmio Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) – O Melhor para Criança, premiação máxima concedida, anualmente, desde 1975, aos melhores livros nacionais infantis e juvenis, e que hoje conta com diversas categorias como poesia, melhor Ilustração, literatura de língua portuguesa, entre outras. Vencedor da categoria Informativo, Labirintos é um livro ilustrativo que aborda em 56 páginas a história e as curiosidades em torno de doze parques brasileiros. Além atrair a garotada de maneira lúdica, a obra propõe ainda um alerta para a importância da preservação ambiental.

Autora de mais de 12 obras técnicas que abordam o meio ambiente, Nurit Bensusan conta que a vontade de escrever para o público infantil surgiu há pouco tempo, em 2011, quando lançou seu primeiro título, o livro-jogo Biobrazuca. A partir daí, surgiram Quanto dura um rinoceronte? (2012), Rio + 20, 21, 22…(2012) e Labirintos – Parques Nacionais (2012).

“Escrever para crianças sobre temas biológicos e ambientais é um enorme prazer, e ter o meu trabalho reconhecido pela FNLIJ é muito gratificante”, comemora a escritora e pesquisadora ambiental, doutora em Educação e mestre em Ecologia.  Para ela, ganhar o prêmio irá abrir as portas, não só para a carreira como escritora, mas, especialmente, para o tema dos parques nacionais.

De acordo com Ana Paula Prates, ex-diretora de áreas protegidas do Ministério do Meio Ambiente, a carência de livros biológicos voltados para as crianças ainda é muito grande no Brasil. “O livro Labirintos traz essa inovação, traduzindo biologia para as crianças e alertando para a importância da valorização e preservação de nossas áreas protegidas”, comenta a doutora em Ecologia.

Altamente Recomendável

Além de Labirintos, outra obra de Nurit recebeu o selo de “Altamente Recomendável” e concorreu ao prêmio: Quanto dura um Rinoceronte?, que também esteve exposto, entre os dias 25 e 28 de março deste ano, na Feira de Bolonha, na Itália. “Fico gratificada pelo reconhecimento do meu trabalho”, afirma Nurit, que tem como maior expectativa ver seus livros traduzidos para outros idiomas. “Eu adoraria ver, por exemplo, o livro Quanto dura um rinoceronte? publicado em árabe, swahili ou mandarim”, revela a autora que lançou a empresa de criação de jogos e livros infantis, Biolúdica, em 2010.

Mais informações:
www.bioludica.com